A mãe de uma das crianças que supostamente sofreram maus-tratos em uma escola infantil na zona leste de São Paulo revelou que uma das funcionárias do local obrigou seu filho a comer até que ele vomitasse. Segundo a mãe, a funcionária da instituição colocou a cabeça do filho em um vaso sanitário até que ele vomitasse.

“Ela obrigou ele a comer cinco pratos de comida, até que ele vomitasse”, disse a mãe. “Ela ajoelhou ele no chão do banheiro e enfiou a cabeça dele no vaso sanitário e fez ele vomitar: ‘Vomita, porque se você vomitar no chão eu vou fazer você comer de volta'”, completou.

Outra mãe, Bruna Naviska, deu mais detalhes sobre como as crianças menores eram tratadas na instituição. “Todas as crianças do berçário que choravam muito eram colocadas em um quarto escuro até que parassem de chorar ou pegassem no sono”, disse Bruna.

Uma funcionária da escola localizada na Vila Formosa alega que as ordens partiam da diretora. “Ela via uma criança mais chorona e fazia o procedimento”, disse a funcionária.

A diretora teve o celular apreendido pela polícia e os pais dos alunos foram convocados para uma reunião e informados sobre os maus-tratos. De acordo com o advogado da instituição, as crianças que aparecem nos vídeos que circulam nas redes sociais teriam sido colocadas propositalmente nas posições em que são vistas.

“O que a gente acredita é que alguém, que ainda não se sabe exatamente quem e por quê, colocou as crianças naquela disposição, absolutamente inaceitável, embaixo de uma pia, dentro de um banheiro, um local totalmente inapropriado, fez alguns vídeos rápidos e deu um jeito de colocar isso nas redes sociais para tentar prejudicar a escola ou as funcionárias.” A escola teve as atividades suspensas por pelo menos 15 dias.

A escola infantil na Vila Formosa passou a ser alvo de investigações da Polícia Civil após a divulgação de vídeos nos quais bebês são vistos chorando, amarrados com lençóis, comon se fossem camisas de força. As investigações seguem sob segredo de Justiça.

Na manhã desta terça-feira (15), os pais dos alunos da Escola de Educação Infantil Colmeia Mágica foram ao endereço da instituição para protestar. Eles tiveram conhecimento dos vídeos na última semana. No entanto, a primeira denúncia havia sido registrada no início deste mês.

Na quinta-feira (10), a polícia se encaminhou ao local para recolher os lençóis que teriam sido usados para amarrar os bebês, bem como o celular da proprietária da escola.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de R7.
Foto destacada: REPRODUÇÃO RECORD TV

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.