Em experimentos científicos na Universidade de Washington, o Doutor em Psicologia John M. Gottman se debruçou sobre um tema que permeia a vida em sociedade, os relacionamentos amorosos. Em seu livro The Seven Principles for Making Marriage Work, ele descreve 4 erros que predizem términos de relacionamento. Será que você pode estar cometendo algum deles? Confira:

1. Críticas

“Você sempre terá reclamações sobre a pessoa com quem você vive. Mas existe uma diferença entre reclamação e crítica. Uma reclamação foca em um comportamento ou evento específico. Uma crítica é global e expressa sentimentos ou opiniões negativas sobre o caráter ou personalidade do outro” , diz o Prof. Gottman em seu livro.

Vale fazer uma auto-análise e se perguntar, de que maneira estou comunicando meu parceiro ou minha parceira sobre algo que me incomoda no comportamento dele(a)?

2. Desprezo

O desprezo se dá quando uma pessoa se acha superior à outra em algum aspecto. É uma forma de desrespeito, de falta de consideração e apreciação pela essência do outro. O desprezo pode aparecer em formas de sarcasmo, cinismo, humor, como quando você vê seu companheiro(a) usando uma roupa que nitidamente não lhe caiu bem, e diz “Como você está elegante!”, em tom de deboche. Ou quando ele(a) faz um comentário que você desaprova e você imediatamente revira os olhos.
“O desprezo é mantido pela manutenção de pensamentos negativos constantes sobre o parceiro ou parceira”.

3. Ficar na defensiva

Devido às brigas e conflitos, é comum que apareça o estar na defensiva, que é facilmente visualizável no que chamamos de “se fazer de vítima”. Para se proteger, para proteger o próprio ego, o parceiro ou parceira começa a dizer sobre situações ou momentos em que aconteceu algo que machucou, normalmente, com voz chorosa e infantil.

Apesar de, em princípio, parecer um estado normal devido aos problemas, se colocar em uma posição de vítima (inferior) é semelhante a dizer que é o outro (ou outra) que está errando sempre. Não é a toa que ficar na defensiva também não resolve os problemas.

4. Muro de silêncio

No livro Comportamento Verbal, de Skinner, aprendemos que, ao termos um auditório – alguém que pode nos escutar e responder – somos treinados socialmente a falar qualquer coisa para não ficar em um silêncio constrangedor. Razão pela qual o silêncio, em uma discussão ou conversa, é sentido por quase todos como uma punição. Ficar totalmente em silêncio é uma forma de ignorar o outro, o que também não resolverá a situação no longo prazo.

Se identificou em alguns destes erros? Então pode ser que, para o bem do seu relacionamento, você precise reavaliar algumas das suas atitudes ou posturas.

***

Destaques Psicologias do Brasil. Com informações de: Psicologia MSN
Foto destacada: Reprodução/ Filme (500) Days of Summer- Fox Searchlight Pictures.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.