Trisha Taylor nunca foi o tipo de pessoa que permite que os outros lhe digam o que ela pode ou não fazer.

Nascida com osteogênese imperfeita, também conhecida como doença dos ossos frágeis, a mulher de Boise, Idaho (EUA), tem apenas 60 centímetros de altura. A mutação genética que causou sua OI significa que seus ossos são incrivelmente frágeis e quebram facilmente.

No momento do nascimento, um raio-X revelou que a criança havia quebrado 150 ossos durante o parto. Sua infância foi marcada por fraturas ósseas frequentes e ela dependia de oxigênio suplementar apenas para respirar. Ela também usa uma cadeira de rodas desde os 2 anos porque o peso de seu corpo é simplesmente demais para seus ossos suportarem.

“Meus pulmões não conseguiam inspirar e expirar por conta própria”, explicou Trisha. “A cada tosse ou espirro, posso fraturar um osso. Apenas deitar na posição errada pode causar uma fratura.”

Um novo tratamento médico foi disponibilizado quando ela tinha 12 anos e fortaleceu os ossos de Trisha o suficiente para que ela se decidisse a sair da cama e abraçar de verdade sua vida.

“Foi incrível sentir a força começando a crescer em meus ossos”, disse ela. “Depois de seis meses, comecei a ser capaz de me levantar sem ajuda.”

Nos anos seguintes, Trisha trabalhou duro todos os dias para aprender a entrar e sair da cama, usar o banheiro sozinha e conduzir uma cadeira de rodas elétrica sozinha. Aos 17, ela era independente o suficiente para ir para a faculdade, onde conheceu seu futuro marido, Michael.

Michael tem 1,80m, mas suas diferenças físicas não importavam para nenhum dos dois! Após um ano de namoro, eles se casaram. Embora Michael dissesse à noiva que ter filhos não era importante para ele, Trisha estava determinada a se tornar mãe, apesar das advertências do médico.

“Meu médico me avisou que meu bebê poderia quebrar meus ossos fisicamente enquanto crescia – me esmagando de dentro para fora”, disse ela.

Apesar dessa ideia assustadora, Trisha e Michael começaram a tentar ter um bebê. Trisha sofreu dois abortos espontâneos entre 2014 e 2020. Finalmente, após anos de tentativas, eles receberam seu filho Maven em 29 de março de 2016. Ele nasceu com 32 semanas, de cesariana e não tem OI.

Maven está agora com 5 anos e completamente saudável! Nesse período, Trisha ganhou muitos seguidores on-line por meio de seu blog, “And She Did” (“E ela fez”, em inglês) e das redes sociais.

“Ajudo os outros a ver que tudo é possível”, escreveu ela . “Meu blog é sobre como eu desafio as probabilidades de ser esposa e mãe em minha cadeira de rodas.”

Trisha espera inspirar todas as mães – com deficiência ou não – a realizar seus sonhos mais “loucos”. “Se eu consigo, eles também conseguem”, disse ela.

A mãe encontrou maneiras inovadoras de cuidar do filho sozinha, mas também depende de “sua rede de apoio” para realizar as tarefas que ela não é fisicamente capaz de fazer.

“Não posso simplesmente pular da cama e correr para Maven sempre que ele está chorando, e acho que ele aprendeu isso muito rapidamente. Ele tem sido uma criança tão fácil e ainda é”, disse ela.

“Colocá-lo dentro e fora do assento do carro era algo que eu nunca poderia fazer com sucesso. Depois de oito meses, percebi que não poderia fazer isso sozinha. Tive que aprender a pedir ajuda a outras pessoas. Se ele está no parque e sobe muito alto em um brinquedo, não tenho medo de pedir ajuda a um estranho. Sempre digo que é preciso muita gente para criar um filho.

Trisha se recusou a acreditar que não poderia ser mãe, e agora ela está vivendo seu sonho! Ficamos maravilhados com sua perseverança e força!

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Inspire More.
Fotos: Reprodução/Redes Sociais.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.