O militar reformado Benedito da Silva, de 57 anos, baleado pelo próprio filho, de 13, no último sábado (19), em Patos, Sertão da Paraíba, continua internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.

Na terça-feira (22), o sargento se pronunciou pela primeira vez depois da tragédia familiar que tirou a vida de sua esposa e do filho mais novo, de 07 anos de idade. Ele fez um apelo para que o filho não fique preso, atribuindo a culpa pelo ocorrido a jogos virtuais e influência dos amigos.

“Eu atribuo essa atitude a alguns jogos que ele estava assistindo: ‘Free Fire’, àquela ‘Série de Naruto’, que não valorizam a família. E também, eu vi algumas conversas com colegas dele falando em oprimir os pais, os professores. Então, tudo isso foi influência, mas ele é um menino bom, menino obediente. Eu não quero que ele fique preso, ele tem que ficar em liberdade, ele é uma criança boa, vou cuidar dele com todo o meu amor”, disse o sargento no audio.

Benedito ainda garantiu que o filho não é má pessoa.

“Gostaria só de dizer nesse momento que Samuelzinho é uma criança boa, foi criado com muito carinho, com muito amor. Foi um pedido que eu fiz a Deus. Por isso que o nome dele é Samuel. Esse incidente foi uma coisa muito dura para a gente, mas isso não quer dizer que ele seja um menino mau”.

Confira abaixo o aúdio do sargento Benedito da Silva.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Mais Goiás.
Foto destacada: Reprodução.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.