Especialistas do Instituto de Pesquisa em Materiais (IIM) da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) criaram um adesivo capaz de regenerar a pele das pessoas com diabetes.

A regeneração ocorre no prazo máximo de 21 dias e representa um grande avanço médico, pois oferece aos pacientes com diabetes a oportunidade de recuperar seu estilo de vida.

No México, uma em cada dez pessoas é diabética e uma em cada vinte diabéticos sofre uma amputação em sua vida.

A universidade explicou que o adesivo é feito de nanofibras que contêm nanopartículas e micropartículas, que por sua vez carregam bioativos que, quando colocados no tecido danificado, se dissolvem e imediatamente começam a agir.

Se o adesivo for utilizado nos estágios iniciais da lesão, é possível evitar a amputação das extremidades, uma vez que age rapidamente e impede a proliferação de microorganismos e infecções.

Toda ferida é grave, mas quando se trata de pessoas com diabetes, o risco de infecção é muito maior porque a pele leva mais tempo para se regenerar.

A invenção conquistou muitos prêmios e conquistou o primeiro lugar na categoria de projetos de pesquisa na área de inovação e tecnologia do “Boost Innovation at UNAM”.

Sem dúvida, excelentes notícias para todos aqueles que sofrem de diabetes.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Nation.
Fotos: Reprodução.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.