A professora e doutora Valeska Zanello usou seu perfil no Instagram na noite da última quinta-feira, 3, para fazer uma denúncia. Segundo ela, o estudante de psicologia João Luiz Marques, que acumulou mais de 300 mil seguidores nas redes socias publicando textos e vídeos sobre masculinidade tóxica, copiou boa parte desse conteúdo de trabalhos e livros publicados por ela.

“Por que é tão difícil para um homem referendar o trabalho de uma mulher? Isso tem um nome: misoginia”, escreveu Valeska, que é professora de psicologia da universidade federal de Brasília.

Em sua denúncia, a professora relata que descobriu há um ano e meio que João Luiz estava copiando o seu conteúdo de uma pesquisa sobre grupos masculinos de whatsapp no Brasil.

“Muita gente que me seguia, o seguia também, e mulheres foram em exames solicitar que ele fizesse a referência ao meu trabalho e me citasse. Ele bloqueou essas mulheres”, contou Valeska.

Segundo Valeska, essa não foi a única vez que o estudante plagiou seu conteúdo. Ela relata que no dia 3 de janeiro de 2022 recebeu um print de suas seguidoras de uma postagem de quase 50 mil curtidas, em que o influenciador reproduz frases literais de seu livro, como “homens aprendem a amar muitas coisas e mulheres a amar os homens”.

“Ele não faz referência alguma à obra de onde ele retirou a frase e grande parte de suas ideias. Ou seja, posa de desconstruidão e reproduz da maneira mais crua e evidente a violência de gênero!”, argumenta a doutora.

A professora de psicologia diz que não foi possível denunciar o perfil de João Marques porque, segundo ela, seu perfil no Instagram é bloqueado pela conta de João Luiz e aomentea pessoa que acusa de plágio pode fazer esse tipo de denúncia.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Catraca Livre.
Capa: Reprodução/Instagram @joaomarques.psi

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.