O impacto que os professores podem ter na vida de seus alunos realmente não pode ser subestimado.

Purity Agyeman, uma aluna negra de uma escola de Londres soube disso quando pediu ajuda a sua professora, Vanessa Sefa, depois que seu cabelo bagunçou por estar na chuva.

“Com lágrimas nos olhos, ela disse que não poderia ficar na escola assim o dia todo e por isso preferia ir para casa”, disse Vanessa. “O cabelo dela começou a encolher e, consequentemente, emaranhar-se como resultado da fricção do capuz e da chuva.”

Ter um dia ruim com o cabelo pode ser difícil para qualquer um, mas Vanessa entendia por que isso significava muito mais para aquela menina de 12 anos.

“Para qualquer pessoa, independentemente de gênero e raça, o cabelo costuma ser uma parte importante da identidade”, disse ela. “Mas o cabelo black, em particular, costuma estar pré-carregado de teorias e sentimentos políticos ou revolucionários, mesmo quando o indivíduo não tem consciência do contexto ou simplesmente existe. O cabelo black às vezes é visto erroneamente como ‘despenteado’, ‘radical’ e até ‘sujo’. Devido a essas narrativas em várias camadas, as pessoas negras costumam ser hiperconscientes do que seus cabelos dizem sobre eles.”

Enaquanto comia um donut, faltando 15 minutos para o início de sua próxima aula, Vanessa ouviu Purity perguntar se ela poderia fazer uma trança em seu cabelo. Sem hesitar, a professora vasculhou em busca de materiais que pudesse usar. Tudo o que ela tinha era um pente de dentes pequenos, então Vanessa usou as unhas para criar uma parte central e desembaraçar o cabelo de Purity. Não era o cenário ideal, mas ela foi capaz de executar a tarefa lindamente e na hora certa.

Assim que ela terminou, o semblante de Purity mudou. A menina estava sorrindo em vez de chorar e ficou mais do que feliz em dar um grande abraço em sua professora!

“Purity está entrando na adolescência, período responsável por formar a identidade de alguém”, disse Vanessa. “Mesmo eu achando que ela parecia bonita, não conseguiria apenas dar um tapinha nas costas dela e discursar sobre ter autoestima, quando na verdade sua autoconfiança estava abalada. Não era da minha conta, e uma conversa estimulante não é o que ela pediu. Duvido que alguém desejasse essa resposta em vez de ajuda real, se sua roupa ou maquiagem, por exemplo, tivesse sido arruinada pela chuva.”

Vanessa compartilhou essa história junto com algumas fotos no Twitter e o post rapidamente viralizou, recebendo 50.000 curtidas e milhares de respostas de pessoas contando suas próprias histórias semelhantes.

No Reino Unido, menos de 3% dos professores são negros. É por isso que Vanessa espera que este momento reconfortante entre ela e uma aluna negra destaque a importância da representatividade no campo da educação. Ela também espera que isso incentive mais pessoas negras a seguirem a carreira de professor.

“Este é um dos muitos motivos pelos quais precisamos de mais professores #Negros”, escreveu ela.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Inspire More.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.