Os psicopatas estão espalhados pelo mundo a fora, ocupam cargos e profissões de destaque social. Nem sempre é fácil identifica-los, nem sempre são serial killers, suas maldades podem ser sutis, escondidas dentro das casas, nos casamentos, mas, sempre causando sofrimento às pessoas com quem convivem. Andam dissimulados, fingindo ajudar, ou ser do bem, aquele marido agressivo que bate sem motivo na esposa e nos filhos, agride com palavras, vive ameaçando matar quem atravessar seus caminhos. Para não andarmos a mercê deste tipo de pessoas, é sempre bom saber identifica-los.

Não pense você que são só os assassinos assumidos, nem sempre. Podem ocupar cargos altíssimos, desviarem verbas da educação, merenda escolar ou dos setores de saúde, hospitais, entre outros setores, causando danos irremediáveis e sem que sintam a menor culpa. Entram com recursos judiciais intermináveis, tentando convencer a todos de sua inocência e ficam indignados caso alguém ousar enfrentá-los, sempre fugindo das consequências de seus atos. A grande maioria das pessoas associam à imagem de psicopata, aos criminosos violentos e assassinos em série. Embora muitos assim o sejam, nem todo assassino é psicopata e nem todo psicopata é assassino declarado, há formas escabrosas de matar sem usar uma faca ou um revólver literalmente.

Psicopatas são conscientes de seus atos embora seja um transtorno de personalidade antissocial, um defeito cerebral com um forte componente genético, comprometendo o sistema límbico (parte do cérebro responsável pelas emoções), tornando-o insensível a dor ou sofrimento alheio. No se colocam no lugar da pessoa, não têm empatia alguma. Não sentem culpa ou remorso.

Os psicopatas em geral são carismáticos, seduzem, são simpáticos e extremamente manipuladores. Podem passar desapercebidos nas ruas. Bem vestidos, cultos. Mas, usam suas habilidades sempre para obtenção de vantagens pessoais, são extremamente individualistas. Seus propósitos são no sentido de alcançarem êxito nos seus intentos, doa a quem doer. Sua missão de vida é aproveitar-se dos outros e tirarem vagens pessoais, custe o que custar. Não se importam em causar a destruição de outra vida. Destroem a vida de uma pessoa, ou mais sem sentirem nenhuma gota de remorso. A estratégia adotada, é atropelar e eliminar todos os obstáculos, inclusive quem se atreva a atravessar seus caminhos, atrapalhando seus objetivos.

E não pense que possa consertá-los, pois os cérebros deles são incapazes de responder. Portanto, não pense que aquele homem lindo, que fez e aconteceu com tantas, será diferente contigo, podes estar diante de um indivíduo sem escrúpulos algum. Fez e fará contigo exatamente igual.

Esta e tantas histórias a respeito da amiga, uma moça apaixonada, dissuadida pela paixão, casara-se com comunhão de bens e que ao final do casamento, abandonada é deixada com metade do que possuíra? Poderia ser apenas mais uma história como outras tantas de gente que se aproveita da ingenuidade e paixão da outra. Mas, se observar nas sutilezas, poderá encontrar traços de um psicopata, aproveitador, covarde. Levando dela até sua vontade de viver, dado o grau de frieza.

Há estudos que apontam, grau mais “leve” de psicopatia. Pode ser aquele camarada enganador que se aproveita das pessoas para tirar vantagem delas. Contraindo empréstimos que não honra, paga as próprias dívidas por opção, seduz mulheres carentes para conseguir dinheiro e depois desaparece, finge que é médico ou diz ser especialista de alguma área do conhecimento sem nunca ter feito sequer nenhuma formação ou especialização.

Na empresa é aquela pessoa que puxa o tapete de todo mundo para conseguir uma promoção, torna a vida das pessoas um inferno e até rouba a empresa. É o “esperto”, que vive para satisfazer, exclusivamente, as próprias necessidades.

O difícil é acreditarem, pois por ele ser muito dissimulado, super carismático ninguém vai acreditar em você. Sua amiga pode contar sobre seu sofrimento no casamento, mas dificilmente você irá acreditar, pois seu marido é o “bonzinho” aos seus olhos.
Disfarçados nos mais diversos papéis, os psicopatas, podem ser pais de famílias, líderes religiosos que embolsam dinheiro à custa da ingenuidade e vulnerabilidade dos fiéis, entre os políticos que roubam o dinheiro público sem o menor remorso ou falsos empresários, caloteiros e sem escrúpulos.

O psiquiatra polonês Andrew Lobaczewski (1984) publicou o livro chamado Ponerologia: psicopatas no poder (Political Ponerology: A Science on the Nature of Evil Adjusted for Political Purposes). Com a proposta de lançar um novo campo de investigação na psicopatologia, ou ponerologia, nominada pelo autor: o estudo do mal, do grego poneros (malícia, maldade), a ciência da natureza do mal adaptada a propósitos políticos. Pode-se dizer que as características da psicopatia, ausência de empatia e remorso, forte desejo de mandar (ou dominância), os psicanalistas diriam: ausência de superego. A necessidade de controlar e manipular as massas, em proveito próprio, vemos em grande parte, em políticos autoritários, sobretudo populistas.

Os psicopatas assassinos são em geral cruéis, humilhando e se divertindo com o sofrimento de suas vítimas. Assassinos ou não, são frios e calculistas, indiferente aos sentimentos alheios, nem com a própria família.

Os psicopatas apresentam desde cedo tendência à crueldade. Na infância causam sofrimento físico aos pequenos animais, são agressivos e na escola, humilham os colegas enfrentam professores e até os ameaçam. Têm péssima adaptação social e horror por seguir regras.

A questão é se psicopatas políticos têm alguma predisposição genética ou seriam variedades de sociopatas ,produtos do meio social onde foram gerados? Certo é que, ambos os termos se referem aos indivíduos com transtorno de personalidade antissocial.
O psicopata ou sociopata se utiliza de tudo a serviço dos seus propósitos, e não se incomoda em estar se utilizando dos outros, transformando-os em objetos, podendo manifestar comportamento amigável e gentil e até simulado, fingindo forte empatia , para ganhar admiradores, seguidores, fiéis e eleitores.

Hans F. Sennholz, escreveu sobre as razões as quais o Estado atrai sociopatas. Não estamos falando somente sobre Stalin, Hitler, Mao, Pol Pot e Fidel considerados psicopatas (sociopatas) políticos por seus feitos na história, mas pessoas na atualidade ainda não totalmente identificadas por seus atos ou até indivíduos como Chávez, Ortega e mais recentemente Lula, reúnem características desse tipo de transtorno.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS