Por Isaias Costa

Nas últimas semanas tenho refletido bastante sobre o quanto é importante termos FLEXIBILIDADE na vida, em amplo sentido. Quero refletir com você sobre a flexibilidade em relação à construção de hábitos no dia a dia.

Sabemos bem o quanto mudamos ao longo da vida e o quanto em determinados momentos as circunstâncias que nos aparecem nos forçam a mudar. Tipo aquela frase: “Ou você muda ou você muda”! Nessa hora é fundamental ter dentro de si a flexibilidade para conseguir uma boa ADAPTAÇÃO a essas mudanças.

O que mais me motivou a escrever esse texto foi estar exatamente vivendo um momento como esse. Ainda estou me adaptando à mudança da rotina. Comecei uma nova graduação que tinha vontade de fazer já há um tempo, que é o curso de Filosofia, área que sou apaixonado! Nesse curso eu tenho aula todas as noites de segunda à sexta.

Eu já cultivo bons hábitos, o que me ajudou bastante. No entanto, tive que fazer um esforço gigantesco para superar algo que pra mim não é nada fácil. A questão do horário das atividades físicas. Até já falei em outros textos que gosto de correr e há mais de 10 anos tinha o hábito de correr ou no final da tarde ou no começo da noite. Como fazer isso agora, já que tenho aula?

Nas duas primeiras semanas foi complicado. Quase todos os dias pensei em correr pela manhã, mas a preguiça falou mais alto. Preguiça essa que me rendeu um quilinho a mais na balança. Nessa hora pensei: “Uau! Já engordei um quilo em duas semanas…”. Foi então que fiz um enorme esforço de acordar mais cedo e com determinação saí para correr. No primeiro dia só faltei não sair de casa. No segundo já foi um pouco melhor. No terceiro ainda bateu uma grande preguiça mas pensei: “Bem! Acho que vou conseguir transformar essa corrida pela manhã em um hábito…”.

Isso é o que quero deixar claro para você que me lê. O hábito de correr é ótimo, porém, devido às circunstâncias não seria mais possível à noite. Então através da flexibilidade estou mudando esse hábito quanto ao horário. Se não fizesse isso o que ia acontecer? Primeiro, me tornaria um sedentário, mais pra frente um obeso, e mais pra frente começariam a aparecer diversas doenças… Como tenho consciência dessa possibilidade, o esforço de vencer essa preguiça matinal tão comum é maior que a vontade de dormir um pouco mais.

O Rocky é um cara que me inspira bastante…

Outro hábito que tenho é o de seguir no trânsito pelos trajetos que tem menos congestionamento quando eu vou até a casa dos alunos dar aula particular. Teve um dia que fui dar aula para uma das alunas e nem percebi direito o trajeto que segui, de tão no automático que eu estava. Então pensei: “Nossa! Como foi que eu cheguei tão rápido?…”. Acredite! Ter essa sensação é mais comum do que se imagina! Aproveito para fazer um alerta para os condutores de plantão. Esse é um sintoma que precisa ser visto com seriedade viu? Você sabia que muitos acidentes de trânsito se dão por causa desses automatismos? A pessoa bate e nem percebe como que aconteceu a colisão!

Pois é! Quando pensei em tudo isso, o que eu fiz? Mudei a rota propositalmente em alguns dias para me manter mais atencioso ao trajeto. Inclusive altos estudos já foram desenvolvidos sobre essa temática, dizendo que ao mudar o trajeto para o trabalho criamos novas conexões neurais e o mais importante de tudo, sentimos a passagem do tempo de uma forma mais concreta. Em outras palavras, não sentimos o tempo voar… O nome disso para a cultura oriental é estado de presença. É você estar vivendo o AQUI e AGORA.

Tento viver com essa consciência do momento presente, mas preciso admitir que não é nada fácil se manter nessa atenção plena. Tanto que virou febre hoje em dia o Mindfulness, que significa “Atenção plena”. É um processo de treinamento mental para vivenciar o hoje com mais plenitude.

Com esses dois exemplos, acho que deu pra perceber que se formos muito rígidos em nossos hábitos, consequências negativas começam a surgir e a vida parece que passa a ser vivida no piloto automático, quase como a vida do Michael Newman do filme “Click”. Ele é um personagem caricato para mostrar alguém que vive uma rotina maçante e rígida!

Portanto, a palavra que resume todo esse texto é FLEXIBILIDADE. Tenhamos flexibilidade na vida. Assim, ela será vivida de forma mais consciente…

Imagem de capa: Shutterstock/SFIO CRACHO

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Isaias Costa
Bacharel em Física. Mestre em Engenharia Mecânica e Psicanalista clínico. Trabalha como professor de Física e Matemática, mas não deixa de alimentar o seu lado das Humanas estudando a mente humana e seus mistérios, ouvindo seus pacientes e compartilhando conhecimentos em seu blog "Para além do agora", no qual escreve desde 2012.

COMENTÁRIOS