Aconteceu na cidade de Chapecó (SC) um caso que causou comoção na última segunda-feira, 20. Uma mulher que estava sendo vítima de violência doméstica escreveu um pedido de socorro com batom em uma toalha e jogou pela janela. Um vizinho encontrou e acionou a Polícia Militar.

Sobre o caso, o sargento da Polícia Militar Aérikison Rifam, disse ao G1: “Segundo a vítima, o marido chegou 2h30 da madrugada bem alterado. Segundo ela, o marido teria pegado ela pelo pescoço, tentado estrangular, seriam essas as agressões, e também ameaçado ela com duas facas. E ele teria escondido a chave do apartamento, trancado o apartamento e escondido a chave e o celular dela”.

Segundo a Delegacia de Proteção à Criança ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCami) de Chapecó, os dados de ocorrências contra a mulher cresceram em relação ao ano passado.

Foram 138 casos de ameaça em março de 2019, contra 162 em 2020. As lesões corporais subiram de 24 para 62.

“A ocorrência de maior vulto com certeza é a ameaça. Mas tem também agressões físicas, violência psicológica, moral. E muitas vezes a mulher não tem nem sequer ciência de que aquilo pode constituir um crime, uma violência”, disse o delegado José Airton Stang.

Para a Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina, a quarentena pode estar dificultando que as mulheres consigam registrar a ocorrência, uma vez que muitas delas estão convivendo 24 horas por dia com o agressor.

Pensando nessa situação, a Polícia Civil lançou uma campanha, lembrando os canais de denúncia: os telefones 100 e 181 e o site da delegacia virtual. Já a Polícia Militar pode ser chamada pelo telefone 190 ou pelo aplicativo.

***
Destaques Psicologias do Brasil
Foto destacada: Reprodução/NSC TV.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.