Quem nunca se deparou com aquela sensação de que alguns ou muitos aspectos da vida perderam o sentido dando sequência em um grande looping de dias iguais?

Os questionamentos ficam piores na medida em que tudo parece se tratar de acordar, trabalhar, fazer alguns planos para o final de semana e pagar contas. Se tornam inevitáveis os pensamentos de estar levando a vida corretamente ao não sentir grandes prazeres ou navegar em sonhos ou motivações.

Será que existe uma maneira correta de viver a vida? Certo ou errado são relativos aos valores de cada um, mas uma coisa é certa: a sensação de viver em um eterno refrão não proporciona felicidade e entusiasmo a ninguém. Afinal, o que fazer para quebrar esta sequência de dias iguais?

Preparamos algumas dicas e reflexões para se tornar possível a quebra deste ciclo!

1) Não acumule pendências quando o assunto é você

Podemos pensar na vida como no ato de se fazer faxina: na medida que os cuidados são diários, menores as chances de se ver investindo grande parte dos seus finais de semana com limpeza e arrumação. É comum que se leve muito tempo para cultivar bons hábitos na rotina, mas pouquíssimo tempo para perdê-los. Pensando nisso, é fundamental que tenha sempre de fácil acesso a ideia de que investimentos em todas as áreas de sua vida e de sua saúde devem ser constantes. Adiar tarefas que são importantes para você só ampliam a intensidade de prejuízos e dificuldade na retomada das mesmas. Mesmo diante de imprevistos que exijam muito tempo de você, policie-se para que continue progressivamente fazendo investimentos em si próprio.

2) Você possui as respostas de que precisa, apenas ainda não se deu conta

Você já passou muito tempo sem comer algo que adora e quando tem a oportunidade de comer novamente pensa: “eu não lembrava o quanto gostava disso?”. Projetos de vida se encaixam perfeitamente nesta sensação!
Muitas vezes quando entramos neste looping de dias iguais o simples movimento de resgatar o que costumava te dar prazer ou motivá-lo possibilita a retomada de uma direção positiva de novas ou antigas empreitadas pessoais.

3) Reflita com seletividade

No mesmo sentido da dica anterior, uma forma de refletir na busca por sentido é tentar se lembrar do último período de sua vida em que você se sentiu feliz. Ao resgatar este momento, tente encontrar hábitos e pessoas daquele período comparando se os mesmos estão presentes em seus dias atuais. Você poderá se dar conta de atividades simples que poderá retomar com facilidade e até mesmo resgatar amizades que fazem falta e que poderão agregar o mesmo valor de períodos vividos anteriormente!

4) Não comece do zero, comece de onde você está: é o suficiente

Uma de nossas características que tende a dificultar a quebra do looping dos dias iguais é se imaginar sempre na obrigatoriedade de iniciar projetos do zero, desconsiderando tudo que já foi investido anteriormente. Parece que apenas projetos totalmente novos ou novos amigos possibilitarão a renovada de energias quando na verdade nosso funcionamento depende da qualidade e não necessariamente de novidades.
O fato de resgatar memórias e amizades permite estreitamento de laços com pessoas com que você já possui afinidades e dá margem para retomada de planos e objetivos importantes que se perderam por alguma razão.

5) Relacionamentos não se tratam de fusão de identidades

Mesmo com tantos benefícios oferecidos pela paixão, ela costuma ser a vilã da sensação de looping de dias iguais favorecendo uma rotina desgastante. Quando estamos apaixonados e engatamos um novo relacionamento, tendemos a direcionar todo o nosso tempo e desejo ao nosso parceiro, mas passada toda aquela intensidade do início da paixão, a sensação é de ter perdido um pouco de sua identidade e vida pessoal. De antemão, relembramos que relacionamentos não são uma fusão de intensidade e a individualidade de hábitos, tempo e amigos deve sempre ser preservada.

6) A correria do dia-a-dia X deixa para depois

Pivô do looping de dias iguais é o famoso pensamento de se deixar para depois mediante a correria da rotina e obrigações. Mesmo que existam sobrecarga de cuidados na vida profissional ou na família, viver só se torna possível a partir do momento em que você se colocar em primeiro lugar. Sacrifícios só levam a estafa e insatisfação, portanto, não faça concessões do que é verdadeiramente importante para você.

7) Mantenha sempre o equilíbrio

O nosso bem-estar depende do equilíbrio e harmonia em diversos aspectos da vida: saúde, profissão, estabilidade, relacionamentos, família, amizades e uma enorme infinidade de outros aspectos. Seria utópico pensar na vida como se fosse possível conquistar o equilíbrio ideal entre todos estes campos, mas quando se valoriza a importância de cada um, o investimento constante em cada um deles permite que ampliem-se os ganhos e se reduza drasticamente a chance de que um destes pontos fique defasado necessitando de altos investimentos de tempo e energia para sua recuperação.

Os benefícios de se autoconhecer

Se ainda com estas reflexões você sente que perdeu a direção de sua própria vida e não sabe como quebrar a rotina e reconquistar seu prazer em viver, não deixe de procurar apoio profissional de um psicólogo. O processo de autoconhecimento é um investimento em si mesmo e possibilita uma infinidade de ganhos a partir da aproximação consigo mesmo. Lembre-se: sua vida depende de você!

***

Maitê Hammoud
Psicóloga Clínica
CRP 06/112988
www.maitehammoud.com.br

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Maitê Hammoud
Psicóloga Clínica, Formada pela Faculdades Metropolitanas Unidas, com curso de aperfeiçoamento em Psicanálise pelo Instituto Sedes Sapientiae. Atendimento de adolescentes, adultos e terceira idade. Vivência clínica com violência doméstica, transtorno de personalidade borderline, transtorno de estresse pós-traumático, psicossomática, processo e elaboração de luto, depressão, ansiedade, relacionamentos interpessoais, drogas, entre outros.