Muitas vezes, conhecemos pessoas com características que nos incomodam MUITO. Sempre que isso ocorre, devemos ficar atentos: existe uma grande possibilidade desse atributo fazer parte de algo em nós que tentamos negar, mas como é isso? Leia o texto e saiba mais.

O que gera tanto incômodo?

Em geral, todos nós possuímos “sombras”: coisas negativas que temos dificuldade em admitir até para nós mesmos. Esses “defeitos” podem, inclusive, ser inconscientes. Assim, é comum tentar negá-los e escondê-los.

Porém, por vezes nos deparamos com alguém que carrega esses traços ou traços semelhantes aos que tanto tentamos ocultar e o desconforto é inevitável. O outro acaba funcionando como um espelho, onde somos confrontados com o que não queremos ver e nossa reação é “recusar” esse reflexo.

Por exemplo: a pessoa está insatisfeita com seu próprio corpo e passa a xingar e ofender outras pessoas na internet, as depreciando por sua aparência física.

Projeção: “Quando Pedro me fala sobre Paulo…”

Nem sempre precisamos do “espelho” para sermos atingidos por nossas sombras. Outra possibilidade para esse “confronto” é a projeção. Como dizia Freud: “quando Pedro me fala sobre Paulo, sei mais de Pedro que de Paulo”. Assim, segundo o teórico, a projeção é um mecanismo de defesa do ego, no qual o sujeito atribui ao outro características ou ideias que reprime em si próprio.

Exemplo: A namorada é infiel e projeta isso em seu companheiro com atitudes de ciúme excessivo, medo de traição, tentativa de controle do parceiro o tempo inteiro, desconfiança de sua fidelidade, acusações de traição, etc.

Epor que utilizamos esses recursos?

Atribuir os defeitos a outras pessoas acaba dando um certo alívio para o sujeito, já que ele está expressando suas “repressões” e também evitando que o consciente os reconheça.

Por isso, devemos sempre ficar atentos quando algo em outra pessoa nos incomoda demais. Geralmente tem algo nosso ali e observar esses detalhes acaba nos levando a uma melhor compreensão de nós mesmos o que, certamente, nos traz benefícios (leia mais em: por que desenvolver o autoconhecimento?).

“Tudo o que nos irrita nos outros pode nos levar a uma melhor compreensão de nós mesmos.” – Carl Jung

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Stephanie Mascarenhas
Psicóloga clínica graduada pela Universidade FUMEC, especialista em relacionamentos atende pela abordagem psicanalítica em Belo Horizonte. Autora do Razão das Emoções, seus textos abordam as relações humanas e buscam a transmissão e troca de conhecimento pessoal e emocional.

COMENTÁRIOS