Quantas vezes nós já nos pegamos desanimados por “não termos conseguido”, por não estarmos naquele lugar tão sonhado ou até mesmo nos comparando com outras pessoas, ignorando que existe todo um processo antes da realização. Não existe nada de errado em sonhar, estabelecer objetivos e querer melhorar, o problema é quando exageramos na autocobrança, já que isso pode trazer consequências negativas para nossa saúde mental e emocional.

O excesso de autocobrança muitas vezes acaba nos gerando muita frustração e, consequentemente, tal sensação acaba nos deixando estagnados devido ao sentimento de culpa por “não termos conseguido” nos superar ou superar os outros. Aquele grande desejo de alcançar uma determinada posição, um status ou a simples vontade de sermos melhores, nos faz ignorar a realidade e deixamos um pouco de lado nossos limites. Nesse sentido, estabelecemos metas e objetivos impossíveis de serem alcançados, lugar onde a falha acaba sendo inevitável e a culpa da não realização chega a ser massacrante em alguns casos.

Por isso, antes de idealizarmos o que acreditamos ser uma meta, é essencial conhecermos nossos limites e acima de tudo, focarmos em nossas potencialidades, naquilo que somos bons e sabemos fazer de melhor antes de querermos traçar um objetivo que muitas vezes nem são nossos.

Imagem de capa: Shutterstock/Alex Malikov

*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS


Stephanie Mascarenhas

Psicóloga clínica graduada pela Universidade FUMEC, especialista em relacionamentos atende pela abordagem psicanalítica em Belo Horizonte. Autora do Razão das Emoções, seus textos abordam as relações humanas e buscam a transmissão e troca de conhecimento pessoal e emocional.


COMENTÁRIOS