Um novo olhar para a criança baseado na teoria sistêmica

Esse texto é uma reflexão básica da teoria sistêmica frente ao desenvolvimento infantil, fruto de um curso de extensão que neste semestre começarei ministrar na Pontifícia Universidade Católica de Goiás – PUC/GO.

Será que a criança é uma parte ou um todo familiar?

A construção social acontece na família?

Para ajudar na sua reflexão, irei falar um pouco de duas teorias que fazem parte da base da terapia relacional sistêmica de forma simplificada, tendo como referência o construtivismo e o construcionismo. Sendo que o primeiro vê o mundo não como uma coleção de objetos isolados, mas como uma rede de fenômenos que estão profundamente conectados. O segundo, sustenta que o significado é construído por ação social, diálogo e a inter-relação humana. Isto nos leva a crença de que toda a realidade é uma construção social.

O construtivismo de forma geral vem questionando os conceitos de verdade, objetividade e realidade como fundamentos de nossa visão de mundo e do conhecimento do mundo. Já o construcionismo acrescenta um reconhecimento de como esses significados emergem no processo de conversar com outras pessoas. A idéia central do construcionismo social não é uma realidade na qual depositado, senão a trama atual de nosso sistema de ações, ou seja, vivemos em um mundo que permanentemente construímos.

Pensar sistematicamente, isto é, colocar o foco nas relações entre as diversas díades ali presentes mais ainda as relações. Este novo paradigma nos remete a observar o padrão de interações neste sistema familiar com as relações que ele mantém com as famílias de origem, com sistema escolar de que a criança faz parte, com sistema de saúde que atende etc.

E a criança como fica nesta realidade?

Na psicoterapia infantil é preciso analisar a relação familiar e social o qual a criança está inserida.

No desenvolvimento infantil, assim como a mãe é importante o pai também é. Dentro do sistema, os pais são responsáveis pela criança.

Somos atraídos para melhor experiência para nos mesmo. Enquanto estiver julgando os pais, você não está disponível para dar os seus próximos passos. E preciso entender com cuidado cada dinâmica familiar.

Compartilhar
Eanes Moreira dos Santos
Psicóloga Clínica - CRP 09/5798. Graduada pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás – PUC/GO, Especialista em Terapia de Casais e Família pela IEP/PUC-GO e Pós-graduada em Saúde da Família, pela UniversidadeFederal deGoiás - UFG.Atende em consultório particular com Psicoterapia Infantil e Casais, Avaliação Psicológica, Orientação Vocacional, além de participar dos projetos Descobrindo Crianças, Cativare e ValorizaPsie. É autora de dois Grupos de estudos, Equipe Multiprofissional em Políticas Públicas e o Terapia Pais e filhos.



COMENTÁRIOS