O que torna uma pessoa tímida ou extrovertida? A timidez é algo com que nascemos ou é algo que desenvolvemos com base em nossas experiências com outras pessoas?

Uma longa história de pesquisa sugere que o temperamento – ou o estilo de reação emocional de uma pessoa ao meio ambiente—Pode ser identificado pela primeira vez em bebês a partir dos 4 meses de idade. É medido mostrando aos bebês alguns brinquedos simples, como um celular com vários animais pendurados, e estudando como eles reagem. Esse teste simples aos 4 meses mostrou de maneira bastante consistente que os bebês que ficam sobrecarregados ou emocionalmente angustiados em resposta a um móvel pendurado são os que têm maior probabilidade de ficarem tímidos à medida que envelhecem (Kagan, 1997). Esses bebês são particularmente sensíveis a qualquer tipo de mudança no ambiente e podem ficar facilmente chateados até pelas atividades mais rotineiras, como uma campainha tocando ou uma troca de fraldas. Por outro lado, os bebês que reagem positivamente a essas mudanças, ou que não reagem de maneira alguma, são os mais propensos a se tornarem muito sociais quando crianças em idade pré-escolar.

Surpreendentemente, essa relação vai além da primeira infância, e as respostas dos bebês ao celular aos 4 meses de idade preveem quão tímidas ou sociais elas serão na adolescência (Kagan, Snidman, Kahn, Towsley, Steinberg e Fox, 2007). As diferenças entre pré-escolares tímidos e extrovertidos podem até ser vistas em sua biologia e no cérebro (Barker, Reeb-Sutherland e Fox, 2014; Fox et al., 1995), sugerindo que a timidez tem uma forte base biológica e pode fazer parte da personalidade de um indivíduo desde muito cedo na vida.

Isso significa que o ambiente não desempenha nenhum papel na produção de timidez? E a timidez é algo para se preocupar em primeiro lugar?

Só porque o temperamento tem uma base biológica, não significa que esteja gravado em pedra. O temperamento de uma criança pode mudar e as reações negativas dos bebês a novas pessoas, objetos e situações podem se tornar menos extremas ao longo do tempo. Além disso, não há nada de errado em ser um pouco tímido. Muitas crianças têm um temperamento descrito como “lento para se aquecer” e precisam de algum tempo para se adaptarem ao ambiente antes de estarem prontas para entrar e se divertir (Thomas, Chess e Birch, 1970). No entanto, vale a pena notar que há um subconjunto de bebês, cerca de 10 a 15%, que são sensíveis ao extremo. Esses são os que mais correm risco de desenvolver a timidez, e uma parte deles (cerca de 40%) pode até desenvolver ansiedade social mais tarde na vida (Fox e Helfinstein, 2013).

Portanto, se você tem em casa uma criança extremamente sensível que não se solta diante de pessoas e lugares familiares depois de algum tempo, existem intervenções disponíveis para ajudar a impedi-las de desenvolver problemas de ansiedade social. Além disso, um estilo parental de apoio pode realmente ajudar. Por exemplo, pesquisas mostraram que o risco de um bebê se tornar tímido diminui significativamente quando ele tem mães sensíveis e respondem adequadamente às necessidades da criança. Portanto, mesmo para bebês que se irritam facilmente quando se deparam com situações novas ou desafiadoras, ter um pai responsável pelas necessidades do bebê pode atuar como um amortecedor contra o desenvolvimento da timidez ou da ansiedade social (Panela, Henderson, Hane, Ghera e Fox). , 2012).

Da mesma forma, a paternidade pode ter um papel importante na maneira como as crianças tímidas e extrovertidas desenvolvem um senso de moral ou consciência durante a infância. Por exemplo, crianças tímidas ou aptas a se sentir ansiosas provavelmente ficarão chateadas com facilidade quando forem repreendidas por violarem as regras. Como resultado, eles realmente só precisam (e respondem bem a) formas suaves de disciplina, uma vez que são facilmente levados a se sentir culpados por suas transgressões. Crianças que são muito mais extrovertidas ou destemidas nem sempre respondem a uma disciplina suave e exigem um pouco mais de atenção quando quebram as regras, pois não se sentem facilmente ansiosas por si mesmas (Kochanska, 1997).

No total, esta pesquisa sugere que as sementes que cultivam uma personalidade tímida ou extrovertida são plantadas cedo na vida e têm uma forte base biológica. Mas a anatomia não é o destino, e se você tem um bebê realmente sensível a qualquer tipo de mudança no ambiente, uma paternidade igualmente sensível que permita que a criança se ajuste a coisas novas em seu próprio ritmo pode ajudá-la a desenvolver o medo mais tardeou ansiedade em situações sociais. E embora a timidez tenha uma forte base biológica, não há garantia de que você terá dois filhos que têm exatamente o mesmo temperamento. Você pode muito bem ter um filho tímido e ansioso, seguido por um filho indisciplinado e destemido. Nesse caso, é importante lembrar que é importante ajustar o estilo dos pais para atender às necessidades de uma criança, e o que funciona para um temperamento pode não funcionar tão bem para o próximo.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Psychology Today.
Foto destacada: Reprodução/Colégio Marupiara.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.