Todos os anos, milhares de pessoas  são violentadas ou abusadas sexualmente e as pesquisas revelam que  as crianças, os adolescentes, os jovens  e as mulheres são os alvos principais. A maioria das vítimas são molestadas  por vizinhos, amigos  ou membros da família. Essas agressões sexuais permeiam vários tipos de crimes,  como por exemplo: os crimes obscenos nas redes sociais, a pornografia infantil, os incestos, as agressões  sexuais contra crianças, adolescentes  e mulheres.

Os predadores sexuais não  são homogêneos  e se diferem nas suas ações criminosas de acordo  com o ambiente cultural, social e econômico que estão inseridos. Muitas vezes são pessoas influentes,  simpáticas, atenciosas, que falam bem e são articuladas para praticarem seus crimes de modo sutil e silencioso.

O termo predador sexual é mais adequado para classificar esse tipo de criminoso pela forma planejada que ele ataca as suas vítimas, entre elas: crianças, adolescentes, jovens e mulheres por estarem mais expostos socialmente. Podemos destacar algumas características desses criminosos sexuais, que identificam o seu “modus operandi”:

Predadores sexuais de jovens e mulheres:

 

  • Insensíveis, frios e calculistas;
  • Na maioria das vezes são casados ou estão numa relação estável;
  • Atacam quando as vítimas vivem em situações difíceis ou vulneráveis;
  • Muitas vezes são familiares, vizinhos, amigos ou colegas;
  • Manipuladores, com forte habilidade de sedução;
  • Condutas sexuais anormais e desviantes;
  • Mulheres são vistas como coisas e objetos sexuais.

 

Predadores sexuais de crianças e adolescentes:

 

  • Pedófilos são simpáticos e amigáveis;
  • Pedófilos elegem suas vítimas pelo ambiente que frequentam: casas de familiares, de amigos, escolas, igrejas, instituições de caridade, atividades esportivas e de lazer das crianças,
  • Pedófilos procuram os lugares onde têm a presença de crianças: parques, praias, orfanatos, etc;
  • Pedófilos são muitas vezes profissionais bem-sucedidos, peritos em se aproveitar das fragilidades das crianças e dos adolescentes e das necessidades das suas famílias.

 

Essas são armadilhas que os pedófilos utilizam para manipular os pais ou responsáveis, com objetivo de alcançar as crianças.  Depois elas são caladas pelo medo das ameaças, transformando o silêncio das crianças numa mistura de sentimentos terríveis e de perda da autoestima. Os dados apontam que mais de 90% dos crimes de pedofilia são cometidos por pessoas próximas aos círculos de familiares ou de amigos das crianças.

Portanto, precisamos confiar nas palavras das crianças e dos adolescentes. A primeira coisa é afastar os acusados dos menores e denuncia-los à polícia.  Desmascarando-os para toda a sociedade, mostrando aquilo que eles são realmente: criminosos sexuais, embusteiros e mestres dos disfarces para se aproveitar das crianças e das famílias que acreditaram neles.  Cedo ou tarde serão pegos e a justiça será feita!

Imagem de capa: Shutterstock/Estrada Anton

 

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Jackson César Buonocore
Jackson César Buonocore Sociólogo e Psicanalista

COMENTÁRIOS