Conheça a história da orientação psicológica online no Brasil e no Mundo – Parte 1

O potencial da internet para a comunicação psicoterapêutica foi constatada desde o surgimento da internet nos Estados Unidos. Grohol (2004), traz uma brilhante visão sobre a história da terapia online, começando pelo programa de computador conhecido como ELIZA, no ano de 1960, criado por Joseph Weizenbaum no Instituto de Tecnologia de Massachusetts. ELIZA seguia um roteiro e atuava como uma psicoterapeuta rogeriana entrevistando um novo cliente.

Apesar de ELIZA não ter sido um verdadeiro exemplo de comunicação intermediada pelo computador porque o cliente não se comunicava com uma pessoa de verdade e sim com um programa de computador, ELIZA foi conhecido como o primeiro a interação terapéutica utilizando um computador a ser documentado. Kenneth Mark Colby criou PARRY, um programa de computador que simulava um cliente com comportamento paranóide em terapia. PARRY, diferente de ELIZA, podia estabelecer uma conversa mais fluida com o cliente. A Importância de ELIZA e PARRY e que ambos demonstraram as primeiras tentativas de terapia via texto entre computador e indivíduo.

O começo verdadeiro da terapia online realizado por profissionais e não por computadores foi iniciado no ambiente universitário na década de 80. Pesquisadores, durante a Conferência Internacional sobre Comunicação por computador, em 1972, realizaram uma das primeiras demonstrações de uma sessão de psicoterapia simulada entre computadores nas Universidades de Stanford e UCLA. Não é possível saber com precisão quando profissionais de saúde mental começaram a interagir com os pacientes online pois desde que o psicólogo se inseriu neste meio online, provavelmente já recebeu pedidos de ajuda, e alguns provavelmente já respondeu. Mas, pode-se dizer que foram os grupos de apoio de auto-ajuda o precursor para o terapia online.

O primeiro serviço organizado conhecida a fornecer conselhos de saúde mental sobre a linha foi “Perguntem ao Tio Ezra”, um serviço gratuito oferecido aos estudantes da Universidade de Cornell em Ithaca, NY. (http://cuinfo.cornell.edu/Dialogs/EZRA/) “Perguntem ao Tio Ezra” (nomeado para Ezra Cornell, fundador do University), fundada por Jerry Feist, na época Diretor de Serviços Psicológicos, e Steve Worona, e está em operação contínua desde setembro de 1986. Permitia que os estudantes fizessem suas perguntas e receber respostas. Grohol criou o Psychcentral na década de 90, oferecendo informação e auto-ajuda. Outras pessoas começaram a entender as possibilidades que a internet oferece e outras pessoas passaram a oferecer serviços para auxiliar a população como o Samaritans, criado em 1994, charity do Reino Unido com o objetivo de oferecer suporte em casos de suicidio. Até esta época, os serviços eram em sua maioria gratuitos.

Foi em meados de 1995, que os psicólogos passaram a cobrar pelos serviços online, porém a maioria era “conselheiros de saúde mental”, que cobravam um valor para responder a uma pergunta, sendo o mais antigo foi o psicólogo clinico Leonard Holmes. O psicólogo David Sommers pode ser considerado o pioneiro principal da terapia online. A proposta dele foi além do que responder perguntas, ele ofereceu um atendimento psicológico a longo prazo através de e-mail com criptografia, chats em tempo real e videoconferência. De 1995 a 1998, Sommers trabalhou com mais de 300 pessoas em sua prática on-line.

A formação da Sociedade Internacional para a Saúde Mental Online (ou ISMHO, http://www.ismho.org) foi um marco no desenvolvimento da terapia online internacionalmente. ISMHO é uma sociedade sem fins lucrativos formada em 1997 para promover a compreensão, uso e desenvolvimento da comunicação on-line, informações e tecnologia para a comunidade internacional de saúde mental. Tornou-se a organização profissional não oficial para os terapeutas online, fornecendo apoio e discussão esclarecedora como profissionais de saúde mental buscar formas responsáveis de usar a Internet para fornecer ajuda de saúde mental. Em 2004, surgiram os cursos a distância de certificação para quem desejava atuar como terapeuta online, sendo exigido pela ISMHO para todo psicologo que desejasse atender online.

No Brasil, desde o surgimento da internet, em 1995, observou-se um crescente acesso da população a diferentes tipos de serviços virtuais, incluindo serviços de saúde. Dentro os serviços de saúde, surgiram os sites de psicologia que ofereciam psicoterapia online, mas observou-se que uma parte prestava serviços com qualidade duvidosa, devido a falta de pesquisas e regulamentação (Souza, 2005). O Conselho Federal de Psicologia (CFP) só voltou a sua atenção para esta questão quando aumentou a quantidade de psicólogos disponibilizando serviços de terapia online e quando a midia passou a dar informações pela internet acerca de supostos atendimentos psicoterapêuticos online (Souza, 2005).

Compartilhar
Marina Lemos
Marina é de Salvador, Bahia, e morou em Londres por 5 anos. É psicóloga e concluiu o Mestrado em Gestão de Riscos e Desastres, em Londres. Deixou a cidade Londrina em agosto de 2015 para seguir outro sonho: tornar-se uma psicóloga nômade digital e morar em vários países da Ásia por um longo período de tempo. É amante da leitura, de viagens, da natureza e de psicologia. Atualmente, empresária proprietária da TOP Terapia Online, empresa especializada na prestação de atendimento psicológico online para brasileiros que moram em qualquer parte do mundo.



COMENTÁRIOS