Orientação Vocacional para Candidatos a Enem e Vestibulares em 3 DICAS

Decidir qual a profissão que desejamos desempenhar pode ser algo muito natural e fácil para algumas pessoas, mas, para a maioria dos jovens essa parece ser a decisão mais difícil de suas vidas. Isso por que geralmente existe uma pressão (ou pelo menos uma expectativa) da família, dos amigos além das próprias expectativas do sujeito envolvido nesse processo. E como se isso não bastasse, quando essa decisão precisa ser tomada geralmente a pessoa ainda está descobrindo as coisas que gosta de fazer, as que não gosta e as coisas que não tolera.

Tudo isso junto pode gerar bastante ansiedade, medo, dúvida e insegurança. Nesse artigo vou dar três dicas de como você pode passar por essa fase com um pouco mais de clareza e assertividade. Obviamente que escolher uma profissão é um processo complexo e não existe uma receita de bolo que funcione para todas as pessoas, entretanto, algumas dicas podem se tornar valiosas e ajudar bastante quem está passando por essa situação.

Dica número 1 “Foque em você”

Antes de olhar para o universo de profissões que existem no mundo olhe para você mesmo. Pense em tudo aquilo que faz parte da sua IDENTIDADE. Esse processo pode demorar alguns dias e isso é normal. Pare de viver a ansiedade de ter que escolher e foque em você. É importante que você considere a sua história, sua origem, sua família, as pessoas que são significativas em sua vida, os valores que foram passados pra você e que você acredita, seus desejos, suas habilidades, seus hobbies… O que você faz você que te deixa alegre?

Uma boa técnica para pensar melhor essa questão é passar um tempo (sem a interferência de outras pessoas) olhando a sua imagem refletida no espelho, quem você vê ali? Reflita sobre quem é você e sobre as suas expectativas de vida, as expectativas que você tem para o seu futuro.

Se você levou a sério essa dica deve ter percebido que sutilmente você foi focando mais em tudo o que é importante para você, que te faz feliz e acredite, isso já vai te ajudar bastante. Depois que você passou um tempo refletindo sobre você mesmo(a) você já deve, provavelmente ter em mente uma coisa: o que você não quer pra sua vida! E isso já é MUITO importante.

Vamos em frente para a segunda dica.

Dica 2: “Agora sim, VEJA as possibilidades”

Se você já sabe o que não quer para a sua vida, já pode ver quais são as suas possibilidades. Nessa fase é importante que você de fato aprofunde o máximo que puder na sua pesquisa de possibilidades profissionais. Não se preocupe se você ainda está em dúvida entre estudar algo na área de humanas ou de exatas. Siga em frente! Saia da inércia. Pesquise “indo o mais fundo possível” as profissões que te interessam. Você pode começar pela internet, veja os sites das universidades que oferecem esse curso, a área de atuação, remuneração, converse com pessoas que já estão estudando para se tornar um profissional na área em que você se interessa. E aqui vai uma dica que na minha humilde opinião faz toda a diferença… Se você puder, se tiver a chance, converse com profissionais que já trabalham na área, se for possível acompanhe por um dia a rotina desse profissional, mesmo que você fique de longe só observando isso será CRUCIAL para você.

Essa será uma preciosa ferramenta (a vivência!) para te ajudar nesse processo. Somente vendo, ouvindo, enxergando, conversando, tirando TODAS as suas dúvidas com as pessoas que já estão trabalhando e/ou se preparando pra isso você terá algo mais consistente a respeito do que você realmente quer pra sua vida. Apenas tome um cuidado nessa fase: procure profissionais que estejam realmente felizes com a sua profissão. Pessoas frustradas, possivelmente aquelas que fizeram escolhas erradas podem contaminar a visão que você está construindo para a sua profissão.

Dica 3: “Enfim, a SUA escolha”

Chegou a sua vez! Agora que já viu de perto, pesquisou a fundo, entrevistou profissionais, viu o trabalho deles provavelmente você já possui ferramentas suficientes para se decidir. Obviamente que essa decisão ainda está acompanhada de alguns riscos, o que é normal, pois, todas as vezes que fazemos escolhas estamos abdicando de alguma coisa e elegendo algo como mais importante, mais essencial para as nossas vidas. Toda escolha requer a análise de riscos, mas não se prenda somente a isso. Tenha em mente os benefícios que você terá, as coisas boas que acontecerão ao efetivamente escolher a sua profissão. Mantenha o foco naquilo que realmente importa para você.

E se mesmo depois de seguir esses três passos através das dicas, você ainda estiver inseguro e ansioso, quanto a sua escolha profissional vai aqui um outro conselho precioso: procure uma ajuda profissional! Acredite, vale muito a pena.




COMENTÁRIOS